domingo, 25 de outubro de 2009

ERVAS MEDICINAIS- CÁSCARA SAGRADA





A cáscara sagrada é uma erva medicinal com efeito laxante. Age provocando uma irritação no intestino que faz com que a motilidade do intestino aumente promovendo assim a evacuação.

Indicações

Prisão de ventre A obstipação, mais vulgarmente conhecida como prisão de ventre, é um distúrbio comum que afeta crianças, mulheres e homens e embora possa ter várias causas, é certo que promove muito desconforto. Por isso, se as fezes forem duras, ressecadas, dolorosas e difíceis de fazer, aumente a ingestão de fibra alimentar, cereais integrais, frutas, legumes e verduras, beba sempre bastante água e procure fazer algum tipo de atividade física. O sedentarismo é um dos grandes potenciadores deste problema e na maioria das vezes esquecido, por isso faça alguma actividade física regular. Embora a toma de laxantes possa parecer uma opção rápida, sem dúvida não é a mais eficaz.

Efeitos colaterais

Cansaço; cólica abdominal; dependência laxativa; descontrole de eletrólitos e de líquidos; diminuição de potássio no sangue; diarréia; falta de apetite; fraqueza; má absorção de nutrientes; náusea; perda da regularidade para defecar; suores; tonturas e vômito

Contra-indicações

Gravidez risco Risco A – Não há evidência de risco em mulheres. Estudos bem controlados não revelam problemas no primeiro trimestre de gravidez e não há evidências de problemas nos segundo e terceiro trimestres. Risco B – Não há estudos adequados em mulheres. Em experiência em animais não foram encontrados riscos. Risco C – Não há estudos adequados em mulheres. Em experiências animais ocorreram alguns efeitos colaterais no feto, mas o benefício do produto pode justificar o risco potencial durante a gravidez. Risco D – Há evidências de risco em fetos humanos. Só usar se o benefício justificar o risco potencial. Em situação de risco de vida ou em caso de doenças graves para as quais não se possa utilizar drogas mais seguras, ou se estas drogas não forem eficazes. Risco X – Estudos revelaram anormalidades no feto ou evidências de risco para o feto. Os riscos durante a gravidez são superiores aos potenciais benefícios. Não usar em hipótese alguma durante a gravidez. mamentação; apendicite; desidratação; impactaçã fecal; náusea; obstrução intestinal; sangramento retal não diagnosticado; vômito ouy dor abdominal.

Aluns medicamentos que usam a cáscara sagrada como parte do princípio ativo são o Eparema e o Solvobil.

FONTE:TUA SAÚDEInformações complementares

Habitat e distribuição
Árvore espontânea da região americana do Oceano Pacífico, desde o norte dos Estados Unidos da América até a Colômbia.

Constituintes (cont.)
Derivados antraquinónicos (8-10%): predominam os cascarósidos A e B, em menor quantidade os C, D, E e F, aloína e antraquinonas livres (crisofanol e emodol). Taninos. Sais minerais. Constituintes amargos. Segundo a F.P. VI, o fármaco seco deve conter 8,0% de heterósidos antraquinónicos, dos quais 60%, no mínimo, são constituídos por cascarósidos expressos em carcarósido A.

Farmacologia e actividade biológica
Os constituintes antraquinónicos originam acção colagoga e laxante em doses baixas ou acção purgativa em doses maiores. Para as mesmas quantidades de fármaco é mais activo que o amieiro negro.

Usos etnomédicos
Na obstipação ocasional, disquinésia hepatobiliar. Como purgativo para limpeza intestinal antecedendo exames radiológicos ou intervenções cirúrgicas.

Contra-indicações
Obstipação crônica; os laxantes catárticos, quando se usam sistematicamente, dão habituação.

Obstrução intestinal. Gravidez, amamentação (os lactantes podem ter diarréias), crianças menores de doze anos. Estados inflamatórios intestinais agudos (doença de Crohn, colite ulcerosa), dor abdominal de origem desconhecida. Menstruação.

Efeitos secundários e toxicidade
Doses excessivas ou o seu uso em pessoas com uma maior sensibilidade ao fármaco, podem produzir espasmos intestinais, náuseas e vômitos.

Precauções
Usar só a casca envelhecida (pelo menos um ano) ou após aquecimento a 100ºC. Quando é recente pode provocar vômitos e espasmos gastrointestinais devido à existência de compostos sob a forma reduzida.

O uso prolongado de derivados antraquinonicaso, além de poderem conduzir a depleção de minerais, nomeadamente a hipocaliemia, pode originar um cólon atônico, sem as haustrações normais, dilatado, por destruição dos seus plexos intramurais.

Para o tratamento da obstipação crônica ou habitual, recomenda-se recorrer aos laxantes que aumentam o volume do bolo fecal e a uma dieta rica em fibras.

Formas de administração e posologia
Dose por dia, não mais de 1,5 g.

  • Cozimento: 1 colher de café ou de sobremesa por chávena.
  • Tintura (1:5): 40-60 gotas.
  • Pó: cápsulas de 250 mg. Em caso de necessidade pode repetir-se até 3 vezes por dia.
  • Extracto seco (5:1): 50-100 mg por cápsula.
Começar a administração com doses baixas e aumentá-las no caso de não produzir fezes brandas. Não prolongar o tratamento mais de uma semana, sem controlo médico.

Dose diária indicada pela E.S.C.O.P: o equivalente a 20-30 mg de derivados hidroxiantraquinônicos calculados em cascarósido A.

Colaboração
António Proença da Cunha, Professor Catedrático Jubilado da Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra (Setembro, 2005).

Bibliografia
O texto da CÁSCARA SAGRADA é cópia do descrito no livro "Plantas e produtos vegetais em Fitoterapia", editado pela Fundação Calouste Gulbenkian. Mais informações podem ser obtidas no site do autor

Nenhum comentário:

Postar um comentário